Sou Médica Nefrologista. Em 15 anos de atuação, já atendi mais de 10 mil pacientes, impactando a vida de cada um deles de maneira direta.

Diabetes mellitus: causas e sintomas

Quase 10% da população brasileira conhece bem uma das doenças mais problemáticas e temidas que existem no mundo: o diabetes mellitus (DM). Ela caracteriza-se pela elevação de glicose no sangue (hiperglicemia) e quase sempre pode ser combatida com um estilo de vida saudável.

Se o paciente seguir as recomendações de tratamento à risca, pode levar uma vida tranquila. No entanto, pelo menos nos primeiros meses após o diagnóstico, são esperadas dificuldades, principalmente quanto à restrição alimentar.

Neste artigo, você vai saber um pouco mais sobre essa doença. Boa leitura!

Tipos e causas de diabetes mellitus

O diabetes tipo 1 é resultado da destruição das células beta pancreáticas por causa de um processo imunológico, isto é, o organismo fabrica anticorpos contra si. Dessa maneira, pouca ou nenhuma insulina é liberada, e a glicose, então, não é absorvida pelas células.

Em geral, essa doença costuma acometer crianças e adultos jovens, mas pode ser desencadeado em qualquer faixa etária.

Já o tipo 2, mais comum e prevenível,  é chamado de “diabetes de adulto” justamente por atingir majoritariamente esse público. Corresponde a 90% de todos os casos da doença e, ao contrário do DM1, está intimamente relacionado à obesidade e à inatividade física.

Nesse tipo, a insulina é produzida, porém, o corpo não consegue utilizá-la de forma correta.

O DM também pode ter outras apresentações raras que se relacionam a defeitos genéticos, doenças do pâncreas, problemas endócrinos, além de uso de certos medicamentos. O diabetes gestacional, por sua vez, pode ser transitório ou não,  e precisa de acompanhamento para não prejudicar mãe e bebê.

Sintomas de diabetes

Os dois principais sintomas que indicam a presença de DM são aumento da sede e da urina. Bebe-se muita água, mas a sede nunca é saciada. A fome também é gigante! a pessoa come muito, mas ocorre uma perda de peso contínua.

Outras pistas para suspeitar da presença do problema são: fraqueza, cansaço, sonolência, desânimo e tontura. São sinais bem gerais e inespecíficos, no entanto, ajudam a fechar o diagnóstico, que se dá por meio de exames de sangue.

O pré-diabetes, condição que se diagnosticada pode ajudar a postergar e em alguns casos até mesmo evitar a evolução para o diabetes, é desconhecido por grande parte dos brasileiros.

Fique atento: em jejum, valores de glicemia entre 100 mg/dL e 125 mg/dL indicam que a pessoa tem um risco elevado de desenvolver DM2, sobretudo se ela for sedentária, tiver excesso de peso e histórico familiar da patologia.

Prejuízo para os rins

Os desajustes metabólicos deflagrados por essa doença crônica atingem órgãos-alvo do corpo humano. O rim é um deles, e a insuficiência renal que resulta do DM é chamada “nefropatia” diabética, ou seja, o órgão torna-se incapaz de filtrar o sangue adequadamente porque os seus vasos sanguíneos foram lesados.

Por isso, pacientes com diabetes mellitus precisam de acompanhamento médico multidisciplinar, que inclui o nefrologista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como nefrologista em Patos de Minas!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp